Manhã de sábado chuvosa, com ventania e advertências quanto ao necessário relacionamento divino

Quem participou do culto matinal ocorrido no sábado certamente se surpreendeu com o vendaval seguido por chuva que sobreveio ao bairro Perus. A força do vento foi tamanha que “obrigou” a organização retirar vasos, flores e adornos que foram instalados perante o púlpito. O ocorrido patrocinou seguidas quedas de energia, contudo, após o momento de turbulência, tudo voltou à normalidade e o Senhor operou conforme se esperava.

 

 

Culto avivado tendo como líder a presidente nacional do CIBEMP, a missionária Lígia Cristina Marins Cardoso e equipe, reservou espaços para adorações por conta de regionais previamente agendadas para louvar e testemunhos de muitos que viajaram de diferentes partes do Brasil, a fim de comungar da maior festa do ministério feminino da AD Perus que ocorre anualmente. Também acusaram-se participações de líderes internacionais, como o casal Ronaldo Monteiro e missionária Débora, que servem ao Pai na Bélgica, por exemplo.

Após os louvores destinados à glorificação do Mestre, todos se prepararam para ouvir a palavra santa, sempre ficada no tema central do congresso – “Mulheres transformadas pela renovação do vosso entendimento”.

Recaiu sobre os ombros da missionária Márcia Lima a responsabilidade de meditar a palavra junto às milhares de irmãs que ocuparam as dependências da Catedral.

O assunto explorado à luz da palavra santa foi relacionamento com Deus. Nesse viés o Senhor usou sua serva de uma forma toda peculiar, fazendo-a ‘voz de advertência’ perante a massa humana que explodiu em glórias e aleluias tamanho sentimento espiritual que se constatou.

Impactante, sobretudo.

“Ter a mente de Cristo. Quem se relaciona com Deus tem a mente de Cristo. Precisamos mentalizar a existência cristã através de atos, gestos e reações. Somente poderemos gozar de uma vida espiritual saudável e obter frutos dignos mediante a palavra divina”, apontou.

Impelida pelo Espírito de Deus, Márcia Lima, que serve ao Senhor na AD Perus do Belém em Caieiras-SP, frisou em alto e bom som nunca ter visto alguém relacionar-se com Deus sem passar pelo crivo da palavra. “É ter Intimidade, conhecimento, comer a palavra. Busque a palavra e tenha saúde espiritual. Ta triste, cabisbaixo? Coma palavra. Ela levanta, vivifica, liberta, participe dos cultos de ensino e tenha saúde espiritual”, receitou.

Antes de complementar sua fala, a oradora comentou que o inimigo trabalha a mente, o emocional, demonizando pessoas que afloram no corpo a falta de estrutura espiritual decorrente da palavra. “Precisamos de mentes inovadas, seres que sejam cheios do poder divino. Lamentavelmente, poucos os que querem palavra, ler Bíblia. Mas só existe uma forma para que vençamos as adversidades – nos relacionando com sinceridade com a palavra divina”, ensinou, em meio a pentecostes e plenitude espiritual indiscutível.

Deixe seu comentário:
Célio Campos
Célio Campos
Jornalista, historiador, editor de Conteúdo do jornal O Arado e mestrando em Comunicação.
EBFO 2019