Bálsamo santo alcançou mentes, corações e vidas na plenária matinal do domingo

O domingo foi iniciado sob uma adversidade interessante. Em meio à chuva e ventania, milhares de irmãs se reuniram na Catedral para iniciar o dia adorando o Eterno pelas grandes manifestações que protagonizou na noite anterior, ungindo mais uma edição – a 21ª – do Congresso de Irmãs Beneficentes Evangélicas do Ministério de Perus (CIBEMP). Foi algo tremendo e o Senhor providenciou tudo ao seu modo e a sua glória foi visível.

A liderança, ancorada pela presidente nacional, a missionária Lígia Cristina Marins Cardoso e equipe, se revezou na direção do culto avivado que reuniu caravanas de localidades distantes, como Marília, Maracaí, Bragança Pta., Curitiba, Porto Alegre, Nordeste e jardim Damasceno. A esses corais se juntaram adoradores de qualidade elevada, como Júlio Lima e Fernanda Kadosh que foi instrumento usado poderosamente pelo Espírito Santo ao louvar e contemplou vidas serem transformadas.

Antes da palavra oficialmente ter sido pregada, a missionária Eliana de Jesus, cuidou de compartilhar com as demais algumas visões, experimentadas a partir do exercício prático em servir a Deus em sua casa em ocupações estratégicas. “O Senhor se alegra quando apresentamos nossas ofertas e sacrifícios com alegria. Não é porque não dispomos de ótimas acomodações ou qualquer outro tipo de conforto que a festa é ruim. Em tudo temos de agradecer e só então teremos sobre nós a porção da graça bendita”, recordou, inspirada.

Sem perder tempo, a oportunidade foi facultada à oradora oficial da manhã, a missionária Andréia de Oliveira (Mauá-SP), que nem bem segurou o microfone e ouviu o Eterno bradar em meio à congregação dos justos. “Eu sei como fazes, quando fazes e acompanho os seus passos. Persevere nesse chamado para que cresças ainda mais espiritualmente. Te encho de graça, virtude e ordeno que marches, marches e marches! Te porei em lugares e locais elevados, falarás a outros povos”, informou-a.

À igreja, o Senhor usou a boca da profeta e sustentou que está às portas. “Esse ministério está no meu coração, mas quero que pratiques a minha palavra. O trabalho é muito mais sério que muitos imaginam. Alguns ainda estão desapercebidos e a esses recomendo que laves suas vestes, pois algumas estão manchadas e só quem é limpo terá acesso ao meu reino”, completou, sob um alarido pentecostal tremendo.

Mensagem Matinal

Em meio ao clima favorável, a oradora pregou no tema, contudo encaminhou uma mensagem intitulada “O que impede a renovação de nossa mente?”, que segundo a missionária, “estava sendo ministrada pela primeira vez. Eu tomava café em minha casa quando o Senhor me ordenou a escrever e disse que seria a mensagem para ser pregada neste CIBEMP. Sou obediente à voz mansa e meiga dele, tanto que falarei acerca disso. Espero que sejamos glorificados nessa manhã”, desejou.

Bastante clara em suas considerações, a oradora mostrou com detalhes que em não havendo renovação não existe transformação alguma. “Precisamos retirar os mais diversos tipos de impedimentos de nossa trajetória para que Deus efetue as mudanças necessárias ao nosso crescimento”, apontou.

Ampla, recordou a todos que ouviam-na atentamente que ministério é serviço. “Tem crente que parou, estacionou no tempo, tendo chegado a um nível de espiritualidade tamanho a ponto de achar que não precisa de mais nada. O suposto nível de santidade bateu no teto. Isso, saibam, é outro exemplo clássico de impedimento para que sejamos transformados”.

Usada com propriedade, Andréia ainda ampliou suas considerações, alertando que muitos ainda tendem a resistir ao sacrifício. “E sem sacrificar nossos corpos, nossos atos, nossas impressões é impossível relacionar-nos com Deus de uma forma direta, acessá-lo como tem de ser. Que possamos aprender a cada instante que renovar é um exercício diário em nossa caminhada espiritual, cujo objetivo é alcançar a glória santa.

Deixe seu comentário:
EBFO 2019