Se o Senhor se agradar de nós

Números 14:8
“Se o SENHOR se agradar de nós, então, nos porá nesta terra e no-la dará, terra que mana leite e mel.”

Após uma detalhada e demorada observação, Josué e Calebe estão animados e animando o povo para a conquista da terra prometida, porém, o que vemos foi uma negação por parte do povo para com Josué e Calebe, que se não fosse o Senhor ter interferido, teriam sido apedrejados. (Nm.14:10)

Mas, afinal, o que pode ter causado tanto descontentamento na vida do povo? O que via o povo de tão difícil naquele tempo? Seria a entrada em uma terra dominada por gigantes? Seriam os desafios entre montes e vales tomados por obstáculos? Talvez sim.

Sabe, penso que os desafios na terra de Canaã não estavam propriamente entre o que ali existia, e sim, em quem estava entrando na terra; o povo!

Quer dizer que existia um desafio a ser vencido primeiro em quem iria entrar na terra prometida? Sim! E por que? Porque está claro que, o povo de Deus vivia em um sério problema de mudança de conduta. Enquanto Josué falava da terra que manava leite e mel, sem problemas, mas quando disse…

“Tão somente não sejais rebeldes…” Nm.13:9. A partir daqui tudo mudou.

A indisposição para mudar era o maior desafio para o povo naquele momento, pois, Josué foi enfático: “…não sejais rebeldes…”

Quando olhamos o significado da palavra rebelde, encontramos:

Quem não se submete, não acata ordem ou disciplina, insubordinado, não se pode domar, que custa ceder, que não responde a tratamento, que não obedece, teimoso, obstinado, indisciplinado e etc.

Percebe, que o problema não era a terra, não eram os gigantes, não eram os montes e vales, o problema estava em um coração indisposto a obedecer.

Salmos 95:10
“Quarenta anos estive desgostado com esta geração e disse: é um povo que erra de coração e não tem conhecimento dos meus caminhos.”

É na indisposição do coração que Deus capta a intenção do homem.

Deus não olha primeiro nossos passos errados, Ele olha primeiro o nosso coração errado.

Quando lemos no Salmo 37:24 “Os passos de um homem bom, são confirmados pelo Senhor, e ele deleita-se no seu caminho”, compreendemos que, primeiro Deus analisa o nosso coração com o objetivo se de fato a intenção é agrada-lo, como vemos neste mesmo Salmo no versículo 4 “Deleita-te também no SENHOR, e ele te concederá o que deseja o teu coração.”

Seus passos estão intimamente ligado ao seu coração. O reflexo da sua conduta é o estado atual de seu coração.

O que Josué disse naquele dia foi no coletivo, mas a ação era individual. Era decisão de cada um ouvir ou não a Palavra de Deus. Era decisão de cada melhorar o seu coração, mas o que escolheram? Escolheram ser rebeldes.

Paulo traz em resumo o sentimento de Deus em relação a isso:

I Coríntios 10:5

“Mas Deus não se agradou da maior parte deles, pelo que foram prostrados no deserto.”

“…Deus não se agradou da maior parte deles…”

O problema não estava e nunca estará em Deus, o problema começa quando nossas escolhas são erradas.

As nossas escolhas afetam diretamente o relacionamento com Deus. A maneira como conduzirmos a nossa vida irá agradar ou não a Deus.

Portanto, quem deve ser o maior interessado em agradar a Deus somos nós. Se cada um agradar a Deus como se deve, não há terra que Deus não nos coloque. Não há porta que Ele não nos faça entrar. Não há obstáculos que Ele não nos ajude vencer!

Sabemos que no fim desta história, aqueles que não quiseram mudar, não entraram na terra. (Nm.14:22-23) salvo Josué e Calebe (30). E diante de tudo isto, vem uma pergunta: Como conseguiram agradar a Deus?

1) Agradaram a Deus pela submissão. Eles foram tratáveis, obedientes, cederam a vontade de Deus.

2) Agradaram a Deus pela supervisão na conduta. Josué e Calebe não foram super-homens, mas foram criteriosos em sua conduta. A mente deles eram diferente, a postura deles eram diferentes, as palavras deles eram diferentes. Eles sabiam que o primeiro objetivo era agradar ao Senhor, por isso a expressão: “…se o Senhor se agradar de nós…” Eles sabiam que precisavam ser vigilantes nisto.

3) Agradaram a Deus pela comunhão. O que a maioria rejeitou de Josué foi a proposta de agradar a Deus, e entre ser simpatizante com o povo e agradar a Deus, Josué preferiu agradar. Muitos perdem a comunhão com Deus, porque desejarem ser amigos povo, simpatizantes do povo, agradáveis ao povo, e se esquecem que quando dois não estão de acordo, não podem andarem juntos, não há comunhão entre a luz e as trevas. Ou se agrada a Deus ou se agrada aos homens. Se temos comunhão com Deus, temos comunhão uns com os outros, agora vale lembrar que estes “outros” são os que agradam a Deus.

Lembre-se, onde existe submissão, a supervisão da conduta conduz a comunhão.

Deixe seu comentário:
Fernando Cardoso
Fernando Cardoso
Casado, pai e serve a Deus na AD Perus Catedral.
EBFO 2019