Palavra de avivamento assinalou abertura do 20º CIBEMP na Catedral da AD Perus

DA REDAÇÃO – Foi forte o brado divino em meio às milhares de irmãs que compareceram ao templo-sede da AD Perus na noite desta sexta-feira, 19, quando ocorreu a abertura do 20º Congresso de Irmãs Beneficentes Evangélicas do Ministério de Perus (CIBEMP). A comunhão foi estreitada, louvores e dramatizações oferecidos ao Pai em gratidão a tão expressivo momento experimentado pelo segmento feminino em nível de ministério. Assim que abriu o trabalho, o presidente nacional, pastor doutor Elias Cardoso, apresentou a diretoria do departamento e passou a liderança do culto para a missionária Lígia Cristina Marins Cardoso que ao lado de outras membros do órgão, comandou o culto sob as santas inspirações divinas.

Destaque para a organização que o trabalho se desenvolveu. Após a leitura do tema oficial do congresso (Revestindo-se da graça – Ef 4: 12 – 13), a assistência se colocou em posição de reverência, prestigiando uma brilhante e organizada entrada das armas, seguida pelo ingresso dos pavilhões representando todos os estados e países onde o ministério assinala presença. Foi um momento de emoção inigualável, completando-se mediante o canto do Hino Nacional.

Um telão, reproduzindo recortes de jornais alusivos ao progresso do CIBEMP e fotos de eventos anteriores, coloriram ainda mais a memorável noite. Acompanhadas pela orquestra feminina, louvores se ouviram brotar dos lábios das irmãs, que uniformizadas, praticamente ocuparam todas as dependências do templo. Convidada especial da noite, a cantora Fernanda Kadoshy adorou, assim como louvaram as representações das regionais Centro, vila Perus e Morro Doce. Ainda houve espaço para que o coral integrado se apresentasse sob visível emoção.

MULHERES EM AÇÃO

Antes da palavra ser ministrada, um grupo de irmãs pertencentes à regional vila Perus, dramatizou o papel dos que se colocam à disposição da obra. Ao som do hino 394 (Harpa Cristã), foram usadas pelo Senhor, representando com riqueza de detalhes cada estrofe do hino e seu elevado grau de importância em nível espiritual. Olhos foram banhados em lágrimas, o Espírito Santo se manifestou e todos foram cheios de poder e graça. Bem próximo do momento especial em que a palavra seria pregada, a missionária Luciana Moreira (Cuiabá/MS), leu um histórico sucinto, retratando de maneira fiel o início do trabalho que hoje consolidou-se no CIBEMP. A fundadora, missionária Rosalina Militão Rodrigues (in memorian), foi devidamente honrada.

PALAVRA DE AVIVAMENTO

Fiel ao tema, o pastor presidente, doutor Elias Cardoso, foi o orador da noite inaugural da festa. Usado com poder e autoridade na breve mensagem que compartilhou com a membrasia, viu Deus operar de uma maneira especial, exortando, consolando e edificando o seu povo. Reconhecendo a importância das intercessoras no seio da igreja, comparou-as como “colunas maior da igreja”. Enfático, alertou: “Vivemos sob uma cobertura espiritual gigante, por conta das intercessões de gente que sequer sabemos quem é. Esses clamores fazem da igreja um dos principais pilares da nação. Sem isso a sociedade certamente perde o prumo da razoabilidade, andando de um lado para o outro cegamente”, disse.

Lembrando que o ministério feminino autêntico tudo faz para viver o sobrenatural a partir da plenitude da graça revelada em cada vida, assegurou ser a insistência das irmãs junto a face do Senhor a causa da igreja sobressair-se em meio à sociedade desnorteada e errante como se vê nos últimos dias e horas. Metafórico e dado ao ensino, o pastor presidente encaminhou a sua mensagem para um ponto determinante – o particular que a mulher de oração necessita ter perante o trono da graça. “É preciso que adentre à sala vip do Senhor, e olha que são poucos aqueles que detém a senha para acessar tal ambiente. Peçamos ao Salvador que nunca abra mão de nossa vida. O diabo não está brincando de ser inimigo; ele é e sempre será diabo”, alertou, ressaltando que o ministério da AD Perus valoriza ao extremo a liderança feminina.

 

Deixe seu comentário:
Célio Campos
Célio Campos
Jornalista, historiador, editor de Conteúdo do jornal O Arado e mestrando em Comunicação.
CONTRIBUIR