Sábado focou lições iniciais junto aos plenários da EBFO/Convenção 2018

EBFO e Convenção 2018 - Sábado

DA REDAÇÃO – A abertura da EBFO/Convenção 2018 ocorrida na noite de sexta-feira, 9, ganhou corpo em âmbito de plenárias na manhã e tarde de sábado. Divididos, alunos se submeteram a valorosos aprendizados, acomodados que foram nos plenários “Paulo” e “Timóteo”. No primeiro, adentraram pastores, evangelistas e presbíteros, além de missionários (as). Líderes de departamentos, diáconos, diaconisas e cooperadores completaram a assistência nas dependências da nova Catedral.

Louvores antecederam as considerações que mais tarde seriam aprofundadas pelos oradores. Sem perder o objetivo de congregar os plenários às adorações, o hino oficial “Na rocha firmado”, número 258 da Harpa Cristã, foi entoado com voz de trovão por todos e a glória divina se manifestou. Cantores que atuam em várias regionais se alternaram, patrocinando momentos de alegria e profunda comunhão.

Pastor João Barbosa

Pr. João Barbosa (São Paulo/SP)

Pastor Emanuel Barbosa Martins

Pr. Emanuel Barbosa Martins (São José dos Campos/SP).

No templo, todos se maravilharam mediante a explanação do capítulo II (Os 10 Mandamentos e seu Valor Ético), à luz dos capítulos 19 e 20 do livro de Êxodo. A ministração ficou a cargo do pastor Emanuel Barbosa Martins (São José dos Campos/SP). Debutante em se tratando de EBFO, qualificou como “um momento excepcional, maravilhoso. Um povo pentecostal à busca de conhecimentos. Deus nos deu a graça de compartilhar verdades bíblicas”, pontuou.

Nada diferente do que se ouviu da voz do orador que atuou na Catedral, o pastor João Barbosa (São Paulo/SP). Discorreu acerca do tema “O Conceito da Moral Cristã”, analisando-o sob vértices diferentes do trivial. Comunicador, falou de atributos incomunicáveis e comunicáveis, conceituou ética cristã e ampliou visões entre moral e ética.

No período vespertino, o Senhor trabalhou com propriedade através dos louvores que se alternaram em meio aos plenários. Cantores “domésticos” tiveram oportunidades e adoraram ao Pai com força e inspiração. A glória desceu, todos foram poderosamente repletos de paz e gozo celestial. A participação do quarteto “Gileade” sacramentou o momento inesquecível, tanto no templo quanto na Catedral. Criou-se o clima propício para as ministrações inspiradas.

Os oradores inverteram o público-alvo, ou seja, Emanuel Barbosa Martins falou aos alunos acomodados no plenário “Timóteo” enquanto que o pastor João se encontrou com a assistência qualificada que superlotou novamente o templo-sede. Oportunidade em que novamente o aprendizado se processou, mediante troca de experiências profundas à luz da palavra santa.

Deixe seu comentário:
Célio Campos
Célio Campos
Jornalista, historiador, editor de Conteúdo do jornal O Arado e mestrando em Comunicação.
CONTRIBUIR