EBFO/Convenção 2018 teve início mediante Seminário de Gestão Administrativa e Financeira

Pr. Dr. Elias Cardoso

DA REDAÇÃO – A edição anual da Escola Bíblica Fraternal de Obreiros/Convenção 2018, foi aberta na manhã de quinta-feira, 8, quando da ministração do Seminário de Gestão Administrativa e Financeira, alcançando todos os obreiros em ação perante campos regionais, regionais e líderes que atuam diretamente com a gestão eclesiástica. A cooperação foi excepcional, superando, inclusive, expectativas traçadas pelos organizadores.

À frente do evento, o pastor doutor Elias Cardoso, presidente nacional da AD Perus, iniciou suas considerações, apontando que administrar igreja constitui-se em um dos grandes desafios da trajetória pastoral. “Hoje, se o líder não possuir visão aprimorada para corresponder com às expectativas existentes, dificilmente alcançará os resultados que todos esperamos”, apontou.

Ladeado por membros da Presidência, mostrou com propriedade o universo diversificado que constitui a lide eclesiástica, especialmente quando existe a necessidade de se enquadrar dentro de parâmetros previamente compartilhados. “Da forma como fazemos. Traçamos as metas, compartilhamos com o financeiro de cada regional, dúvidas são esclarecidas e o resultado disso é o crescimento do ministério de uma forma organizada. Tratamos com recursos que são oriundos do povo”, alertou.

Aprofundando a fala e se valendo de referenciais que possui – atuou por tempos no setor de Recursos Humanos -, o pastor presidente focou muito os aspectos que necessitam cuidados administrativos aprofundados e demanda habilidades do pastor responsável pela igreja.

Enfocando a Gestão como ponto de partida, explicou-a sob olhos das pessoas – base para o sucesso administrativo, da liderança que é indivisível para a obtenção de sucesso junto a administração. O pastor presidente esclareceu que a igreja de fato é portadora de recursos (humanos, financeiros, patrimoniais, serviços, materiais, suprimentos, etc) que necessariamente precisam estar em sintonia para oferecer resultados positivos.

Auxiliado por assessores que atuam na Controladoria e Jurídico, abordou estratégias – espirituais e financeiras. “Da mesma forma que trabalhamos para que a membrasia cresça precisamos ampliar a visão administrativa para viabilizar a igreja econômica e financeiramente. Isso requer planejamento, organização, controle, de modo que a nossa visão como gestores sempre esteja alinhada aos avanços que se nos apresentam”, ministrou.

Caminhando ao encerramento, o presidente lembrou que a igreja tem de se preocupar em administrar bem para que o povo, isto é, a membrasia disponha de qualidade, oferecendo todos os meios para que as pessoas se sintam bem ao vir à igreja e com isso possamos ampliar a comunidade que tanto nos é importante. Costumo dizer que nunca esteve tão em moda a figura do pastor gestor. Ganham todos; o reino, ele e os liderados sob a sua responsabilidade”, concluiu.

Deixe seu comentário:
Célio Campos
Célio Campos
Jornalista, historiador, editor de Conteúdo do jornal O Arado e mestrando em Comunicação.
CONTRIBUIR