Se esforçando para agradar a Deus

“Se o Senhor se agradar de nós, então nos porá nesta terra, e nô-la dará; terra que mana leite e mel.” Nm.14:8

Quando nos lembramos da palavra “agradar”, pensamos em satisfação, prazer, contentamento, sentir-se encantado e etc. Todos, não só desejamos pessoas agradáveis em nosso circulo de amizade, quanto também temos a consciência de que outros, também estão esperando que sejamos agradáveis.

Ser agradável está muito ligado com nossa maneira de se portar, falar, agir e até pensar. Isso mesmo, ser agradável no pensamento, e é justamente aqui que nosso Deus espera uma real transformação.

Estamos diante de uma declaração de Josué que, assim como o povo, tinham promessa. Agora, não bastava ter promessa e não se ver mudança de conduta diante da promessa.

O que imperava naquele momento eram intrigas, murmurações, invejas, saudades do Egito. Porém, nas palavras de Josué, estava o desejo de que entendessem que não era nem questão de agradar a Moisés ou Arão ou qualquer outra pessoa, a questão era que cada um precisava melhorar, precisava encontrar uma satisfação, um prazer, um sentido real diante de tudo o que viviam, ou seja, agradar a Deus. Infelizmente, mesmo diante de uma solene recomendação, o povo preferiu a rebeldia e o pecado levou á muitos o fim (Nm.14:29; 1Co.10:5).

Este é um retrato comum em nossos dias.

Deus deseja ver um povo que lhe agrade, afim de que por Sua graça, realize maravilhas em seu meio, porém, muitos estão desapercebidos com o principio do Agradá-lo!

Muitos estão preocupados em agradarem a si mesmos. Outros em agradarem a outros por interesses, com isso estão desprezando com suas próprias vidas a Deus, não que não temos que buscar agradar o próximo (Rm,15:2), mas o que está acontecendo é que um número incontável, está buscando neste momento seus próprios interesses, não agradando a Deus e sim a sua carne, trazendo falência em seu relacionamento com Deus, pois está escrito que “os que estão na carne, não podem agradar a Deus”.

Recordemos de pessoas que agradaram a Deus. O que dizer de Enoque? (Hb.11:5) O que dizer de Abraão, o único nas Escrituras chamado de amigo de Deus por três vezes? (2Cr.20:7; Is.41:6; Tg.1:23)

Você sente prazer em Deus? Em Deus está todo o seu contentamento? Você se sente forte o suficiente para hoje defender sua comunhão com Deus, ainda que alguns não se agradem de você?

Sabe, quando em Cl.1:10 nos mostra “agradando-lhe em tudo”, algumas coisas precisamos ter em mente.

1 – Cristo agradou a Deus. Cristo não agradou a muitos. Cristo não agradou a todos, mas agradou a Deus, doando-se por todos (Rm.15:13; Ef.5:2). Declarações como “seja feita a tua vontade” , “pai perdoa-lhes” mostram claramente uma submissão ao que Deus desejava por meio de sua vida.

2 – A igreja de Cristo não agrada o mundo. (1Jo.2:11-14; Tg.4:4). Por mais que uma igreja faça, alguém dirá que querem aparecer.

3 – Você pode agradar a Deus. Como? Ef.5:10 responde: “Aprovando o que é agradável ao Senhor.” Você perceberá que dentro de você será testificado se algo agrada a Deus ou não. E entre o aprovar e o reprovar, está o Espírito Santo para lhe ajudar. E isso começará em uma renovação do entendimento pelo Espírito Santo que te levará a fazer a vontade de Deus. (Rm.12:1-2)

Se o Senhor se agradar de nós.

Vai se esforçando para agradar a Deus.

Até a próxima meditação.

Deixe seu comentário:
Fernando Cardoso
Fernando Cardoso
Casado, pai e serve a Deus na AD Perus Catedral.
EBFO 2019