Projeto Talentos 2017: “Celebração da Colheita” foi encerrado sob grande festa

Projeto Talentos 2017

DA REDAÇÃO – Em 9 de dezembro, mediante uma festa maravilhosa e comunhão espiritual aflorada, foi encerrado o projeto “Celebração da Colheita”. O tema que sustentou as atividades, iniciadas no mês de maio, foi “Águas que produzem vida”. O embasamento bíblico para as ações se refugiou em Levíticos 23: 33 – 44, quando Deus instituiu a festa do tabernáculo ou mesmo festa da colheita.

De acordo com a vice-presidente nacional do CIBEMP, a missionária Valdecir Salomão, “convidamos as Regionais, na pessoa de cada coordenadora, para trabalharmos a unidade da colheita, embora tenhamos diferenças somos um na pessoa de Cristo”, informou.

Explicando um pouco mais, a missionária destacou que o projeto teve como objetivo angariar recursos em nível de contribuições com a finalidade precípua de injetar valores arrecadados no término da Catedral. “Sem dúvidas foi a mobilização feminina do ministério, capitaneada pelo CIBEMP, fazendo diferença em prol dos interesses da obra”, resumiu.

No início do projeto, cada coordenadora recebeu um pequeno cântaro com oferta, simbolizando as águas que dariam vida à colheita futura. Ao longo desses sete meses foram realizados “Cultos dos Talentos” em âmbito regional, quando cada coordenadora se empenhou, mobilizando o conjunto de liderados sob a sua responsabilidade. Deus operou e fez frutificar os donativos.

Em suas manifestações antes, durante e após o evento, o presidente nacional do CIBEMP, a missionária Lígia Cristina Marins Cardoso, sempre destacou a importância de cada líder arregimentar mais participantes ao projeto. “Sem desistência, desânimo e cansaço. A obra é de Deus e estamos empenhados em fazer o melhor. Vejam como as coisas concorreram para o bem de nossos objetivos, vez que cada regional se mostrou competente o bastante, cumprindo com as responsabilidades. Só tenho em agradecer cada uma de vocês pelos ótimos serviços prestados”, reconheceu.

As 26 regionais que se envolveram no projeto foram Centro, vila Perus, Cajamar, Francisco Morato, Itapevi, jardim Damasceno, Campo Limpo Paulista, Mairiporã, Caieiras, Morro Doce, Jaraguá, vila Souza, Bragança Paulista, Santo Amaro, vila dos Remédios, Parada de Taipas, Cabreúva, Mauá, vila Santa Maria, Monte Mor, jardim Cachoeira, Cordeirópolis, Araras, Santa Gertrudes, Maracaí e Franco da Rocha.


 

Deixe seu comentário:
Célio Campos
Célio Campos
Jornalista, historiador, editor de Conteúdo do jornal O Arado e mestrando em Comunicação.
CONTRIBUIR