Congresso da UMADEMP Brasil foi encerrado resultando em 26 conversões ao reino

Após quatro dias de muitas adorações e tributos destinados ao cordeiro santo, chegou ao fim a edição “52” do congresso de jovens da União de Mocidade da Assembléia de Deus do Ministério de Perus (UMADEMP), no dia de domingo, 22 de julho. Foram três grandes concentrações onde o Senhor manifestou a sua glória, trabalhando de uma forma impressionante perante vidas que se renderam a majestade real. No desfecho final 26 vidas aceitaram a Cristo no decorrer do conclave.

O tema que embalou, avivou, marcou, renovou vidas foi “Enche-me!, decorrente da divisa “Todos foram cheio do Espirito Santo e começaram a falar em outras línguas, segundo o Espirito lhes concedia que falassem” (At 2:4), constituindo-se em um grande referencial para que poderosas mensagens fossem pregadas sob a doce inspiração do Espirito Santo.

Nani AzevedoLouvores se processaram ao longo dos três cultos – manhã, tarde e noite. Nas vozes de muitos talentos que espalhados pelas diversas regionais, se encontraram sob a oportunidade concedida pelo Senhor e adoraram-no com a devida propriedade. Destaque para o grupo unificado de louvor, o africano Kalule que ao louvar esbanjou alegria a ponto de contagiar a igreja. Dupla “Os Medeiros”, e na sequência o cantor oficial Nani Azevedo.

No louvor carro-chefe (Adorador por excelência), a igreja se colocou em pé para adorar com louvores de adorações quando muitos acusando o toque divino em seus corações, choravam de tanta alegria na presença do Pai. Em meio às canções, uma pérola: “Adorador não tem dia, momento sequer hora; simplesmente adora”, recomendou, investido de uma autoridade celestial.

A ministração do encerramento ficou por conta do pastor Rafael Belo, que leu o trecho da carta paulina dirigida aos corintos, capítulo 11: 23 – 34.

Com clareza, indicou a necessidade de nos tornarmos imitadores de Cristo para que ele se manifeste em nosso ser. “Referencial gera outro referencial. Quem olha para você identifica Cristo ou você”, perguntou, salientando ser este o grande desafio dos últimos tempos.

“As pessoas tem olhar em você e dizer: Jesus está ali, olhe, lá vai um cristão. Você precisa exalar a essência de Deus que é a cabeça de todo homem e não tem ninguém que mude isso. Até porque quem é governado por esse Cristo não se perde. Coloquemos a cabeça em seu devido lugar e deixemos ele agir, porque o poder é dele, a glória é dele e para ele, afinal quem manda é ele”, disparou.

UMADEMP 2018

“Às vezes brigamos, discutimos, mas no final tudo se resolve, afinal, essa dissenção que tem dentro do templo faz parte, isso é, o que faz parte de ser ajustado, a filosofia da engrenagem, sinceridade. Tem vaso que suporta o fogo, outros não e acabam rachando, porém se mantém em nosso meio ainda que sem quaisquer traços de maquiagem”.

Pr. Rafael Bello

Muito inspirado, o preletor Rafael Belo, trouxe em sua ministração uma palavra de correção e ensinamento no último dia do congresso.

“Você  pode estar rachado, e sempre envolvido com os trabalhos da obra, e eu prefiro você rachado aqui dentro do que quebrado lá fora, no mundo. Se a fonte se fechar, não somos mais nada. Todos dependemos dele. Se Jesus foi quem foi e ainda foi traído, você acha que nunca será traído”, questionou.

Adentrando ao contexto bíblico, exemplificou que um pão pouco consegue fazer com que pessoas entendam que para tomar essa forma, a massa passou por cilindros, foi triturada. “E assim acontece conosco. Somos ‘apertados”, ‘cilindrados’ em meio às madrugadas de clamores, prantos, lágrimas, vez que o processo é alimentar a muitos. Nossa vida é como que se fosse uma padaria”, comparou”.

Provocador, o pastor Rafael Bello encaminhou o término de sua mensagem alertando que cada um de nós foi chamado para amar, ajudar o próximo e não prejudicar ninguém, ainda que sendo rejeitado. O amor que manifestamos não pode estar atrelado às coisas desse mundo, pois existem pessoas que estão dentro do templo, na igreja e se acham. Oras, o que precisamos é rever nossos conceitos, qual é o legado que estamos deixando para aqueles que vêm depois de nós. Reveja as suas atitudes e se preocupe como será que lembrarão de nós”, terminou.

Deixe seu comentário:
Célio Campos
Célio Campos
Jornalista, historiador, editor de Conteúdo do jornal O Arado e mestrando em Comunicação.
EBFO 2019