Exortações e promessas de “novos tempos” foram temas de mensagens pregadas nos cultos de sábado

UMADEMP 2018 - AD Perus

Deus tratou com a mocidade de uma forma peculiar naquele que foi o terceiro dia de celebração do congresso da União de Mocidade da Assembléia de Deus do Ministério de Perus (UMADEMP). O sábado, dia 21, proporcionou duas grandes plenárias aos congressistas, distribuídas nos períodos manhã e tarde. Sem esquecer-nos da noite onde o terceiro culto simplesmente patrocinou um recall espiritual à massa.

O sugestivo tema “Enche-me!”, extraído da divisa bíblica “Todos foram cheio do Espirito Santo e começaram a falar em outras línguas, segundo o Espirito lhes concedia que falassem” (At 2:4), foi preponderante para que as manifestações da glória santa superabundasse perante vidas de milhares de jovens que oriundos de diversas localidades, distribuídas pela Capital, Grande SP, Interior e outros Estados se aprimorassem nos caminhos santos.

Novamente o coral UMADEMP adorou em ambos os períodos, constituindo-se no grande destaque do congraçamento de jovens em âmbito ministerial. Em meio aos adoradores, destaque à participação da cantora Aline Miranda, que cheia da glória divina, compartilhou de sua alegria e foi instrumento de bênçãos aos que se mantiveram ligados sob a mesma “fiação”.

Pr. Thiago de AssisQuem pregou inspirado foi o pastor Thiago de Assis, se valendo do texto encontrado em 2º Samuel: 6:1.

Fez um apelo público para que todos quantos servem a Deus revejam os conceitos. Serviu-se da ocorrência do transporte da arca, símbolo pleno de purificação, para emendar uma poderosa mensagem de exortação, sempre sob à inspiração divina.

“Ele te chama para um particular diferente. Não posso deixar de falar algo: muitos que estão em nosso meio tem o ‘espírito de momento’, isto é, passageiro, mas não utiliza o Espírito Santo e tampouco se aprofunda no oceano de bênçãos que isso proporciona”, desafiou.

Concluiu destacando que aos seus olhos, “muitos ainda vai acabar se matando, brincando com a própria presença, achando que por estar na igreja tem o direito de estar com pé no mundo e dentro da igreja. É tempo de colocar-nos na posição e servir a Deus verdadeiramente”. Vidas foram avivadas, renovadas e batizadas no Espírito Santo.

Novos tempos à juventude

Um congresso de jovens nos moldes que a UMADEMP promove decorre dos mais diversificados tipos de desafios. Mas serve, especialmente, para evidenciar duas coisas importantes: se o trabalho preparatório, mediante realizações de pré-congressos ao longo das regionais durante todo ano foi promovido conforme se esperava e até onde os líderes, adidos ao presidente do departamento, o pastor Flávio Pena, se encontram preparados para encarar adversidades.

Somando forças ao imbatível coral, participaram das adorações nomes como Maicon Bonfim, trio “Ebede” (Maracaí-SP), Jaqueline, Sara, Lukas Agostinho e Júlio Lima. Uma tarde quase que inexplicável, vez que todos os cantores, cheios de Deus em suas vidas, se transformaram em instrumentos para comunicar a glória emanada desde o trono de poder e graça, oferecido aos presentes tal qual uma extensa mesa, colocada à disposição dos que apresentassem fome e sede da misericórdia de Deus.

Pregou o pastor Maurício Maciel , ministrando e louvando inicialmente sob as estrofes do 127 da Harpa Cristã – “Fala Deus”. Leu Gênesis 50:24 e começou a pregar.

Falou de José, o grande sonhador. “Apesar das lutas, das calúnias, ele não se tornou n’uma pessoa amarga. Foi exemplo contínuo de perdão. Contextualizando, nem todos os filhos proporcionam o verdadeiro prazer aos pais mas outros sim. Recordem que José foi colocado em uma cova, depois ele foi tirado dessa cova, e isso foi apontado para Cristo”.

Prosseguindo, salientou que “José foi um bom pastor, assim, José foi trabalhador, deu o duro  até onde ele viu o desvio de ovelhas e teve que  escolher o lado que ficaria, assim como nós precisamos definir a quem queremos agradar – ao mundo ou ao nosso Deus?”.

Voltado ao aconselhamento e manutenção de boas relações familiares, o pastor recomendou à juventude que procure agradar o seu pai e sua mãe, vez se tratar dos primeiros mandamentos bíblicos. Precisamos, de forma contumaz e visível nos transformar em diferenciais; para nós, para a igreja, para a sociedade e para a nossa família”.

Lembrando que muitos jovens se lançam ao suicídio por não terem como centro de suas vidas a figura de Cristo, ordenou que todos passassem a sonhar os sonhos de Deus. “Afinal, José se manteve e fez o que devia ser feito, chegou onde tinha de chegar por ter dado ouvidos à voz do Espírito Santo. Ainda que nossas respostas não necessariamente surjam no exato momento em que delas precisamos, haverá o envio de um mensageiro orientando o que e de que forma teremos de fazer, agir, nos portar.”

Fechou existoso o argumento pregado mostrando que o reconhecimento humano nada é perante os mistérios que cercam a vida espiritual sincera.

Catedral de Perus

“Novos tempos. Não devemos nos preocupar com esse reconhecimento humano que atormenta tanta gente. A igreja assistiu a sua ascensão e agora, infelizmente, constatamos o declínio de muitos. Nosso pai abate o soberbo e exalta o humilde. Jamais você será vergonha para o seu ministério, família. Todos contemplarão a sua dupla honra, dominarás o ‘Egito’ em nome do Senhor Jesus”, finalizou, sob grande mover espiritual.

Com colaboração de Diego Rocha.
Deixe seu comentário:
Célio Campos
Célio Campos
Jornalista, historiador, editor de Conteúdo do jornal O Arado e mestrando em Comunicação.
EBFO 2020