Por um ato criativo e organizado de Deus, o primeiro casal é instituído. (ITm.2:13) Com particularidades extremamente diferentes, (Mc.10:6) Deus os une com propósitos definidos, dentre eles:

Apegar-se um ao outro sendo um para o outro(Gn.2:24);

Frutificar, multiplicar, administrar e  encher a terra (Gn.1:28);

Obedecer a Deus (Gn.2:17, 3:11);

Desejo chamar a atenção para um propósito que cabia ao casal:

Cuidar, ensinar, guiar, amar e levar seus filhos á Deus.

A alegria do nascimento que um filho proporciona para um casal é indescritível. Está escrito que “Conheceu Adão a Eva sua mulher, e ela concebeu e teve Caim, e disse: Alcancei do Senhor um varão.(Gn.4:1). Caim é o primeiro filho gerado mencionado nas Escrituras. Não há dúvidas de que foi bem criado, cuidado, amado, abraçado, ensinado e também conscientizado a relacionar -se com Deus. Percebemos um casal que fez de tudo pelo seu filho.

No decorrer da vida da primeira família, aconteceu, não se sabe quando, o nascimento do segundo filho do casal, Abel, que significa vapor, frágil. Se já existe uma alegria pelo nascimento do primeiro filho o que se dirá do segundo? Adão e Eva seguem a mesma linha, cuidando de Abel, ensinando Abel, guiando Abel, amando Abel e conscientizando Abel a relacionar-se com Deus. O casal que fez de tudo para criar Caim, fez o mesmo agora com Abel.

Ambos os filhos, não deixaram de ter de seus pais os primeiros cuidados.
Ambos os filhos, não deixaram de ter de seus pais os primeiros ensinamentos.
Ambos os filhos, não deixaram de ter de seus pais as primeiras palavras sobre Deus.

Os pais fizeram o seu papel.

Adão e Eva é o retrato sobre: O que o casal não pode deixar de fazer pelos seus filhos.

1) Todo casal precisa cuidar de seus filhos.

– Vestindo-os
– Alimentando-os
– Segurando-os pela mão
– Procurando saber sobre seus medos, seus sonhos, suas tristezas, e segredos que podem perturbá-los.
– Não economizando em conselhos.
– Brincando muito no mundo deles.
– Vibrando com seus acertos, trazendo a devida repreensão pelos seus erros, com amor.

2) Todo casal precisa perceber mudanças em seus filhos.

– O crescimento dos filhos é algo surpreendente, quando você vê, já está bem grande.
– Nossa atenção deve ser com suas primeiras palavras, com seus primeiros gestos, com suas primeiras ações.
– Criança é assim, basta tirar o olho um minuto ela está em cima do pescoço da girafa!

– O olhar dos pais, é clínico. Você sabe que alguma coisa não está bem.
– O olhar dos pais, é pedagógico. Você precisa fazer a criança ter respeito pelo olhar.
– O olhar dos pais, é engenheiro. Você precisa detectar que, o que o seu filho(a) irá fazer vai lhe trazer dores, então desconstrua a aventura dele(a) em por exemplo: empilheirar copos de vidros.
– O olhar dos pais, é salvador. Filhos se envolvem infelizmente em muitas situações. Ter um olhar salvador vai muito além de descobrir seus erros. Este olhar visa conscientizá-los de não voltar aos seus recentes e recorrentes erros.

3) Todo casal tem o dever de ensinar a criança no caminho que deve andar.

– O primeiro casal teve um grande privilégio: De encontra-se com Deus todo dia no jardim. (Gn.2:24; 3:8)
– Conheceram a  voz de Deus.
– Conheceram a presença de Deus.
– Conheceram a  vontade de Deus.

– Era dever deles apenas apontar a existência de Deus, pela criação. Do modo como foram feito todas as coisas.
– Era dever deles mostrar que Deus se relaciona, vendo, sentindo, falando, ouvindo.
– Era dever deles falar sobre a vontade de Deus que é boa, perfeita e agradável e quando não se respeita a Sua vontade, perde-se muitas coisas.

– Desde cedo os filhos devem não só ouvir, mas devem ser levados a crerem de coração, no Deus vivo.
– Desde cedo os filhos precisam saber o que é falar com Deus em oração.
– Desde cedo os filhos precisam olhar e meditar na Palavra de Deus.
– Desde cedo os filhos devem cultuar a Deus com seus pais.
– Desde cedo os filhos precisam ter experiências com Deus.

– Nunca é tarde para orar juntos.
– Nunca é tarde para cultuar juntos.
– Nunca é tarde para ler a Palavra de Deus juntos.

– Antes que seja tarde, faça o for preciso por seus filhos em relação ao caminho.
– Antes que seja tarde, priorize um ensino forte sobre Deus dos 4 aos 14 anos, pois é nesta fase que as maiores raízes da fé cristã são estabelecidas. Depois dos 14 mantenha a manutenção do amor a Deus.

– Sempre valerá a pena o ensino no caminho. Lembrando que “no” caminho está relacionando a estar junto conforme Dt.6:7
– Sempre valerá a pena a marca dos pais nos Filhos sobre a verdadeira fé.
– Felizes os filhos que seguem no Caminho.
– Leia Pv.22:6

Com o primeiro casal aprendemos que a responsabilidade de ensinar os filhos é uma exclusivade única, cuidadosa, custosa, amorosa e principalmente enculcadora de Deus na vida deles.

Cuide, perceba mudanças e ensine seus filhos.

Até nossa próxima meditação.

Deixe seu comentário:
Fernando Cardoso
Fernando Cardoso
Casado, pai e serve a Deus na AD Perus Catedral.
EBFO 2019