Ações de graças

“Salmo 56:12ª “…eu te renderei ações de graças”.

A correria desenfreada do mundo de hoje, chega a roubar um ato a cada dia mais raro em nossos dias, que é a ação de graças.

São tantas coisas que nos tem acontecido, e não paramos para oferecer um momento especial de oferta de gratidão; pelo que já vivemos até aqui.

Estamos há poucos dias para o ultimo mês do ano, e nossa mente começa a fazer uma retrospectiva do que foi o nosso ano.

Dias maus e bons. Meses de aperto, e de folga. Momentos de distancias e momentos de proximidades. Períodos de choro e períodos de alegria. Fases quase que intermináveis, e fases superadas. Perdas e ganhos. Portas fechadas e portas abertas. Dor e alivio. Provações seguidas de aprovações e reprovações. Tribulações que geraram experiência e paciência. Acontecimentos repentinos e surpresas inexplicáveis. Partidas que pelas quais choramos e nascimentos pelos quais nos alegramos.

Nem vimos do que fomos livres muitas vezes, e vimos como fomos livres muitas vezes. Coisas que quebraram muitas vezes, coisas que se consertaram muitas vezes. Entramos e saímos muitas vezes. Subimos e descemos muitas vezes. Viajamos e voltamos muitas vezes. Andamos e sentamos muitas vezes. Acordamos e levantamos muitas vezes. Comemos e bebemos muitas vezes. Usamos nossos sentidos muitas vezes. Pensamos e excutamos muitas vezes, assim como não executamos muitas vezes o que pensamos. Erramos muitas vezes, mas acertamos também muitas vezes. Lembramos muitas vezes, e esquecemos muitas vezes. Ignoramos conceitos muitas vezes, mas tivemos que rever nossos conceitos muitas vezes. Estivemos nos trabalhos muitas vezes, mas é verdade que muitas vezes o trabalho nos tirou do mais importante. Estivemos em família muitas vezes, mas, por muitas vezes não estivemos em família. Por muitas vezes tivemos tempo, por muitas vezes desperdiçamos o tempo. Por muitas vezes cuidamos de nós, por muitas vezes, esquecemos de nós por causa de outro.

Se corremos, se paramos, se sentamos, se dormimos, se comemos, se bebemos, se entramos ou saímos, se estamos de pé, se temos casa, se temos família, se temos amigos, se temos oportunidades e se vivemos, tudo é graças a Deus.

Isso mesmo, tudo é graças a Deus!

Ah! Se não fosse Deus até aqui, onde estaríamos?

Ah! Se não fosse Deus em nossa saúde, o que faríamos?

O que resta-nos fazer? O que Deus espera de cada uma de nós? Paremos e declaramos como Davi:

“…eu  te renderei ações de graças.”

Aprendemos com esta declaração que nossa ação de graças deve ser:

1) Individual “eu”

– Não espere que outros sejam gratos, seja você grato.

– Existe o momento de ações de graças coletiva, mas primeiro cultive a gratidão individual.

2) Á Deus “te”

– A direção de nossa ação de graças é a Deus.

– Deus é o responsável por todas as coisas.

3) Voluntária.  “renderei”

– Não é uma ação forçada. Não é uma ação de trocas.

– É uma ação de entrega. É uma ação de tributar, honrar.

4) Continua. “ações de graças”

– Em outra ocasião o salmista já disse “Muitas são, Senhor, meu Deus, as maravilhas que tens operado para conosco, e os teus pensamentos não se podem contar diante de ti; eu quisera anunciá-los e manifestá-los, mas são mais do que se pode contar” Sl.40:5

– Não temos sido a cada hora, dia, mês e ao longo do ano sidos alcançados pelas ações de Deus?

– Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus, em Cristo Jesus para convosco. ITs.5:18

“Eu escolhi á Deus tributar gratidão, voluntariamente e continuamente as suas muitas ações que tens feito a mim”

“…eu te renderei ações de graças”.

Até a próxima meditação.

Deixe seu comentário:
Fernando Cardoso
Fernando Cardoso
Casado, pai e serve a Deus na AD Perus Catedral.
EBFO 2020