Umademp: mocidade compareceu em peso ao segundo culto do cinquentenário

Mensagem incentivou o dinamismo espiritual dos congressistas perante o poder celestial


DA REDAÇÃO -€“ A noite de sexta-feira, 15 de julho, congregou muita gente já no início do culto. Eram 19h30 minutos e a leitura oficial acabara de ser meditada, mediante leitura feita pelo vice-presidente do ministério, o pastor Joinville Albernaz.

Coincidentemente, dentre os hinos iniciais de acolhimento do povo, a orquestra entoou o “416” (Quando o povo salvo entrar) e era grande o ingresso de pessoas às dependências da casa de Deus. Já somam 17 conversões em dois dias de conclave.

Lembrando que “a nuvem celestial se manterá parada sobre este local nesses dias”, o pastor presidente, doutor Elias Cardoso, pediu que o segundo vice-presidente, pastor José Nicolau, depositasse o culto aos pés de Cristo, oferecendo-o em sinal de sacrifício e gratidão ao Pai. O grupo de louvor se manifestou e entoando lindos hinos invocando a presença do Espírito Santo, cooperou com a festa juvenil.

Dirigindo o culto, o pastor Flávio Pena, presidente do congresso da União de Mocidade da Assembléia de Deus do Ministério de Perus (Umademp), foi tomado pelo Senhor, de forma que por cerca de cinco minutos, interagiu com a assistência mediante proclamações sobrenaturais. O fogo celestial se espalhou e alcançou dezenas de jovens que saltitantes, exclamavam a alegria represada no peito. “Estamos sob uma guerra espiritual tremenda, travada. Mas o que está aqui é muito maior que qualquer impedimento. Deus enviou gente do céu aqui e está tudo sob absoluto controle”, relatou, vibrando.

Assim que o cantor Eliel (Maracaí/SP) louvou, a oportunidade se estendeu à convidada especial da noite, a maranhense Sarah Faria. Entoou dois avivados hinos, assinalando sua estréia no ministério de Perus. Hino com a orquestra completou o momento dedicado às adorações, sempre diante de uma plenitude espiritual beirando o indescritível. Representações internacionais (Bélgica, Itália, Peru) compuseram o seleto plenário da memorável noite.

“É Deus, é Deus, é Deus, é Deus…”

Conhecido da membrasia, o pastor Nerildo Aciioli foi o preletor oficial da noite. Optou em deixar o tema oficial e pregar uma mensagem revelada a partir de Gênesis 41: 38, 41 e 42. Qualificou sua fala percorrendo o eixo referencial “Os benefícios de ser fiel a Deus”.

Enfocando a trajetória de José, o hebreu, mostrou as cinco descidas que o personagem teve, contudo, como era projeto de Deus, foi guindado ao alto. “Tinha tudo para dar errado mas deu certo. Teve um começo ruim mas um final maravilhoso. Às vezes você tem tido uma vida de declínio, de quedas. Deus manda dizer-lhe – prepare que você vai subir”, iniciou.

O tempo entre o sonho e a o cumprimento da promessa divina demoraram 13 anos na vida de José. O pregador incentivou que o servo do Senhor precisa aprender a conviver com as cinco vontades reveladas por Deus: soberana, diretiva, preventiva, providencial e vontade permissiva. “Entenda a voz divina, pois sempre tem um propósito das coisas serem dessa maneira. Muitos se perdem na intranquilidade, pois se for vontade dele, a coisa será feita. O céu não sofre pressão e nem cede à ela. Ele está no controle e sabe o que está fazendo. Só teremos algo em nossas mãos quando estivermos verdadeiramente preparados”.

Explicando que a raiz da palavra Dunamis é dynamus, que significa o poder explosivo do Espírito Santo com uma conotação de dinamite, dinâmica e dínamo, o preletor explicou os significados do termo à luz espiritual quando mostrou que a palavra Dunamis providencia um sentido de energia, grande força e grande habilidade, muitas vezes descrito como o poder. “Com esse poder e graça vinda dos céus que esse ministério, através de vocês, jovens, visa expandir o reino de Deus que primeiramente são avivados para depois serem agentes de transformação na sociedade”, salientou.

Ordenando a todo o tempo que olhos fossem fechados e bocas se abrissem, o preletor ordenava insistentemente “abra a boca e adore a Deus em mistérios”, impôs-se como instrumento do Senhor a abençoar o povo ordenando bênçãos à massa que acusou renovação de vida e transformações no caráter. Lágrimas foram derramadas manifestando a presença do Eterno junto aos congressistas. “Eu empresto a minha boca ao Espírito Santo para comunicar a todos a real vontade de Deus”, contou.

Faraó presenteou José com cinco tipos de presentes e o preletor descreveu, com nítida propriedade, o que cada mimo representou à vida de José, contextualizando-o à caminhada da igreja em meio ao mundo. Alcançando honra extrema decorrente da humildade exemplar, foi reconhecido, de forma que recebeu anel de sinete, vestido de linho, colar de ouro, desfilou junto com o hebreu em carro aberto pelo Egito reservado para a maior autoridade do Egito depois do rei e ainda mandou que os seus homens fossem na frente dele, gritando: “Abram caminho, para passar José o governador do Egito”. Fez de cada item pano de fundo para exortar os jovens que se mantenham fiéis ao Senhor em nome da recompensa que é certa.

Antes de dar o evento como encerrada a noite foi festiva, novamente foi dada oportunidade à convidada especial, cantora Sarah Farias. O Espírito Santo trabalhou poderosamente, renovou muitos na celebração que vem assinalando o meio século de vitórias contabilizadas pelo departamento. Oito conversões fecharam a segunda noite da Umademp, que foi criada em setembro de 1966. A festividade se prolonga até domingo, 17, na Catedral.

(Célio Campos)

Deixe seu comentário:
Célio Campos
Célio Campos
Jornalista, historiador, editor de Conteúdo do jornal O Arado e mestrando em Comunicação.
EBFO 2019