Missionário Luiz da Rosa voltou para casa

Hoje, a Família AD Perus deu um “até breve” ao missionário pastor Luiz Carlos da Rosa que partiu para a eternidade por volta das 2 horas da manhã (horário no Malawi), no dia 11 de dezembro. O sepultamento ocorreu no Cemitério Gethsêmani, na Vila Sulina, Zona Norte de São Paulo.

No culto fúnebre, o pastor Elias Cardoso recordou trecho da carta do apóstolo Paulo ao jovem Timóteo: “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé” (2Tm 4:7). O presidente da AD Perus ressaltou a importância de conservar uma vida íntegra na presença do Senhor de modo a estar preparado para estar para sempre com o Senhor quer seja pelo soar da última trombeta ou pelo momento em que o corpo tomba à sepultura e o espírito volta a Deus, que o deu.

Intimidade 

A missionária Maria de Jesus testificou que o missionário estava vivendo um momento de profunda intimidade com o Senhor. Isso também foi testificado pelos pastores Orlando Silva, Flávio Pena e José Antonio quando estiveram em viagem missionária no mês de setembro.

Esta intimidade profunda, resultou ao casal a percepção de que o Senhor poderia tomar um dos dois para si. Em breve testemunho comovente e edificante, a missionária Maria mencionou que na terça-feira (dia 10), o pastor Luiz começou a orar por volta das 4 horas da manhã.

Às 11 da manhã, após sete horas, ele continuava em oração. Em dado momento, o pastor Luiz compartilhou o pensamento de que se ele partisse a missionária Maria deveria prosseguir no cumprimento da vocação missionária que receberam da parte do Senhor.

De volta para casa

Na noite do dia 10, ele queixou-se com ela e relatou estar se sentindo muito cansado. Então, ela recomendou que ele fosse repousar no quarto para que não adormecesse na sala. No meio da madrugada, o pastor Luiz declarou: “Eu quero ir para casa”. A missionária respondeu que ele estava em casa. Após isso, ela entendeu que o diálogo estava ocorrendo com o Senhor. Assim, ele continuou orando, falando em outras línguas até que sua voz foi diminuindo de intensidade e deu seu último suspiro.

Como esposa, a missionária lamenta a momentânea separação. Com confiança, porém, declara: “Minha alma está em paz”. Ela pondera, ainda, que o Senhor “emprestou” o pastor Luiz à igreja e, agora, quis tomar de volta para si. Que em tudo seja glorificado o Nome do Senhor.

Deixe seu comentário:
CONTRIBUIR