Catedral do Relógio sedia seu último culto

Após 45 anos, 541 meses, 16.473 dias, a estrutura física deixa de acolher os atos litúrgicos

A noite do dia 13 de outubro de 2020 entra, definitivamente, para as crônicas da Assembleia de Deus – Ministério de Perus. O dia foi escolhido pelo pastor presidente, dr. Elias Cardoso, para reunir as gerações que fazem a história deste lugar onde paira a glória de Deus há algumas décadas. Na sexta-feira, dia 9, o penúltimo culto contou com a cooperação de alguns representantes de diversas regionais. Desta vez, o público-alvo foi composto pelos irmãos que congregavam na Catedral do Relógio.

Foi uma noite marcada pelos “últimos”. Últimos hinos, últimas orações, últimos testemunhos. Mas não se trata de uma ocasião de encerramento. Mais que marcar o fim de um ciclo, o culto glorificou ao Dono da Igreja pela manutenção da sua Presença, confiança no seu cuidado, provisão, socorro, livramento, enfim, manifestação do seu infinito e ousado amor.

O pastor Elias, sensível ao direcionamento dado pelo Espírito Santo, conduziu a liturgia. Junto com a orquestra, regida pelo maestro Carlos Eduardo Rodrigues, louvou ao Senhor com os hinos 18 e 42 da Harpa Cristã. A leitura bíblica coletiva, uma identidade da AD Perus, foi realizada pelo pastor Joinville Albernaz, primeiro vice-presidente. Ele enfatizou a leitura do versículo 12 que lembra o ato de louvor do profeta Samuel: “Ebenézer, até aqui nos ajudou o Senhor”.

Louvores

A confiança de que a ajuda do Senhor, testemunhada ao longo dos 73 anos de história da igreja, foi reiterada no louvor congregacional “Obra Santa” (Luiz de Carvalho, 1969).
Os departamentos também se fizeram representar. O conjunto “Monte das Oliveiras”, regido pela diaconisa Rosilda Maria, exaltou ao Todo Poderoso com a letra do hino “Sou Eu” (Fabiana Anastácio, 2018), que foi tema do Cibemp 2020.

Jovens e adolescentes somaram as vozes, sob regência de Arthur Souza, para entoar “Te agradeço” (Diante do Trono, 1998). Os varões exaltaram a Majestade Santa com o hino “Adorador” (Chagas Sobrinho, 2018), regidos pelo irmão Enéias de Oliveira.
O coral, sob regência do maestro Fábio Ferreira da Silva, declarou a “Maravilhosa Graça” (Haldor Lillenas e tradução de Alyna Muirhead) e “Santo, Santo” (autoria desconhecida).

Testemunhos

Em função do tempo, para que a liturgia tivesse todos os elementos, o pastor Elias pediu que alguns irmãos e irmãs dissessem muito sucintamente o que marcou suas vidas ao longo da história na Igreja do Relógio. Obviamente, uma singela representação diante das incontáveis maravilhas que o Senhor operou na vida de milhões desde que o templo foi consagrado para ser habitação da glória de Deus, em 7 de setembro de 1975. Foram 16.473 dias, 541 meses, 45 anos de sinais e prodígios.

Em determinado momento, o pastor Elias pediu que fossem se colocando em pé as testemunhas de Jesus que estão servindo na AD Perus ao longo das décadas. Começou pelo final dos anos 1960 até chegar no século 21. Ele também pediu que se manifestassem os que foram batizados, casaram, apresentados quando recém-nascidos, consagrados como obreiros. A cada grupo, um misto de nostalgia e gratidão. E a certeza de que tudo foi feito e continuará acontecendo conforme a boa mão do Senhor age em favor do seu povo.

Cronistas oculares

O pastor Israel Januário representou aos obreiros em uma brevíssima participação. Ele fez questão de estar presente, mesmo com a esposa convalescente. Há 45 anos, o pastor Israel contou que começou a servir na obra como “pedestal”, em seu tom sempre bem humorado, no ato de inauguração da Catedral. Nesta função ele serviu aos pastores Paulo Leivas Macalão, Lupércio Vergniano e Benjamin Felipe Rodrigues, entre outros presentes naquele ato. Para expressar sua gratidão, citou o Salmo 84, verso 3: “Até o pardal encontrou casa, e a andorinha ninho para si, onde ponha seus filhos, até mesmo nos teus altares, Senhor dos Exércitos, Rei meu e Deus meu”.

A missionária Ercília Ribeiro Souza Fernandes, esposa do pastor Cícero Fernandes, representou a geração que fez parte dos mutirões para a construção da Catedral. Ela testificou que o Senhor manifestou a sua glória em seu favor e prolongou os seus dias, mesmo depois que a medicina havia desenganado.
A irmã Eva Simonetti, que também testemunhou os dias de construção, glorificou ao Senhor por ter sua família servindo na obra de Deus. O presidente fez menção honrosa, ainda, ao pastor Luiz de Campos que serve ao Senhor na AD Perus desde 1959, sendo obreiro que está sempre presente na Casa de Deus.

Memória que gera gratidão

Coube ao pastor Geremias Tiófilo, terceiro vice-presidente, a ministração da última mensagem. Ele mencionou que recordou do dia que foi separado ao presbitério em 1974 e quando cooperou em um culto com a participação do coral da igreja no Jaraguá que entoou o hino “Mil Glórias”.
O texto que escolheu como base para o tema da ministração foi o da carta aos Hebreus 12:28 e 29: “Pelo que, tendo recebido um Reino que não pode ser abalado, retenhamos a graça, pela qual sirvamos a Deus agradavelmente com reverência e piedade; porque o nosso Deus é um fogo consumidor”.

Como introdução, o pastor Geremias citou a importância de ter uma memória que resulte em louvor ao Senhor. Ele evocou o cântico de Davi no momento em que a Arca da Aliança foi colocada na tenda que ele havia preparado: “Lembrai-vos das maravilhas que fez, de seus prodígios, e dos juízos da sua boca” (1Cr 16:12).

A atuação do Espírito Santo na vida do crente também faz lembrar o que precisamos guardar: “Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito” (João 14:26).

Fato é que a mente humana precisa sempre recorrer ao exercício para que mantenha as boas memórias e, assim, anunciar as maravilhas do Senhor. Também é fato que o ser humano não consegue contar tudo. O salmista reconheceu isso e registrou: “Muitas são, Senhor meu Deus, as maravilhas que tens operado para conosco, e os teus pensamentos não se podem contar diante de ti; se eu os quisera anunciar, e deles falar, são mais do que se podem contar”.

Últimos atos

O pastor Joinville realizou o último apelo para quem quisesse aproveitar a oportunidade presencialmente ou virtualmente para entregar sua vida a Cristo. O pastor Elias convidou os representantes da família do pastor Benjamin Felipe Rodrigues e da missionária Rosalina Militão Rodrigues para uma oração, conduzida pelo pastor Antonio Gonçalves, em agradecimento pela vida e obra dos líderes. Representaram a família o pastor Manoel Mariano, pastor José da Silva, missionária Eunice Militão Rodrigues e a irmã Débora, neta do pioneiro.

Até que Ele venha

O antigo templo vai ter sua estrutura adaptada. A torre do relógio, ícone arquitetônico, vai ser preservada, conforme adiantou o pastor Elias Cardoso. Para não alongar demasiadamente o tempo do culto, o presidente trouxe à memória o momento que o pastor Felisberto Pereira dos Santos foi usado pelo Senhor para lançar o desafio de construir um novo templo.

Na época, sua mente projetava apenas uma adaptação da Catedral do Relógio. Mas foi advertido de que o ganho em capacidade de lugares seria muito pequeno. Assim, o pastor Felisberto olhou para o imóvel ao lado e sugeriu para comprar. A proposta era grande demais para a igreja, mas não impossível para Deus. O pastor Elias mencionou os primeiros passos e como o Senhor foi dando provisão em tudo.
Assim, a promessa de que a casa seria maior, foi cumprida e o Nome do Senhor, somente Ele pode receber toda honra, glória e louvor. A uma voz a igreja pode dizer: “Foi o Senhor quem fez isso e é coisa maravilhosa aos nossos olhos”.

Face no chão

De rosto no chão, como sempre ocorre na reunião do Conselho de Ministros, o pastor Elias acompanhado pela diretoria da igreja e demais pastores, agradeceram ao Senhor. Neste ato, em oração conduzida pelo presidente, toda a igreja manteve as mãos estendidas. Um ato simples, mas de significado profundo.
O pastor Joinville clamou com toda a igreja na última oração dirigida aos céus neste santuário. Coube ao pastor Geremias Tiófilo ministrar a última bênção apostólica às 21h35.

Deixe seu comentário:
CONTRIBUIR